Pesquisar no Abadia em foco

09/07/2018

Marconi e Lúcia Vânia lideram disputa ao Senado, aponta pesquisa Diagnóstico/DM

Sondagem estimulada revela cenário indefinido para o Senado Federal em Goiás
Se as eleições fossem nesta segunda (9) Wilder cederia sua cadeira à Marconi Perillo (Fotos: Marcos Oliveira/Agência Senado; e Moreira Mariz/Agência Senado)

Levantamento estimulado Diagnóstico/Diário da Manhã aponta uma disputa acirrada para as duas vagas ao Senado Federal nas eleições deste ano. Com 25,7% das intenções de voto, o ex-senador e ex-governador Marconi Perillo (PSDB) garantiria uma das vagas se as eleições fossem nesta segunda-feira (9). Lúcia obteria sua reeleição, com 22,7%.

Na terceira colocação, o vereador Jorge Kajuru (PRP), teria 21,3% dos votos, seguido de Vilmar Rocha (PSD), com 20,3%, ambos próximos de Lúcia, caracterizando uma possível indefinição do quadro eleitoral em médio prazo, já que há pouca diferença no resultado obtido pelos quatro primeiros pré-candidatos da lista.

O ex-senador cassado Demóstenes Torres figura na 5° posição, com 11,5%, seguido de Wilder (9,4%), Luís Cesar Bueno (PT; 5,4%), Agenor Mariano (MDB; 5,2%), Pedro Chaves (MDB; 4,8%) e Fabrício Rosa (Psol; 3,2%). Em contrapartida, 7% dos entrevistados votariam branco ou nulo e outros 4,1% estão indecisos ou preferiram não opinar.

Na sondagem espontânea, Marconi também lidera o ranking (9,1%), à frente e Kajuru (6,4%) e de Lúcia Vânia (5,5%). Demóstenes pula para quarta posição (3,2%), seguido por Vilmar e Wilder, ambos com 1,2%. Antônio Gomide (PT) – ausente na primeira lista – aparece com 1%, na dianteira de Vanderlan (PP; 0,7%), Pedro Chaves (0,5%) e Maguito Vilela (0,4%). Nesse aspecto, Luís César Bueno (PT), e Professor Pantaleão e Fabrício Rosa, ambos do Psol, registam número inferior a 0,1%.
Crescimento

Em comparação com levantamento realizado em junho pelo mesmo convênio, os pré-candidatos Vilmar Rocha e Wilder Morais registraram crescimento respectivo de 6.8% e 6,3% nas intenções de voto. A pesquisa associa a diferença pela atuação de Vilmar, que deixou cargo no governo para se dedicar à pré-campanha e, no caso de Wilder, em razão de seu vínculo com o governável Ronaldo Caiado (DEM). Enquanto isso, Marconi apresentou variação positiva de 0,8%.
Metodologia

Realizada entre os dias 30/6 e 4/7 deste ano pela empresa Diagnóstico Pesquisas de Comportamento e encomendada pela Unigraf – Unidas Gráficas e Editora Ltda/Diário da Manhã, a sondagem ouviu 1.111 pessoas em entrevistas pessoais, domiciliares e de fluxo. Foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO) em 30 de junho, com a inscrição 03541/2018. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de 3%, para mais ou para menos.

Por Hugo Oliveira Do Mais Goiás
Com informações do Jornal Diário da Manhã