Pesquisar no Abadia em foco

11/04/2018

Pesquisa: saúde é o maior legado

Dados do levantamento Serpes/O Popular divulgados ontem mostram que setor foi o que mais se desenvolveu nas gestões de Marconi e José Eliton
A Saúde é o principal legado dos governos de Marconi Perillo em suas quatro gestões, incluindo as duas mais recentes, de agora em diante com José Eliton, aponta pesquisa Serpes divulgada hoje pelo jornal O Popular. A maioria dos entrevistados, 27,2%, elegeu o setor como a área que mais se desenvolveu nos governos de Marconi, seguida de Segurança Pública (12,6%) e Estradas (10,4%), respectivamente. A escolha da área da Saúde como legado principal reflete os investimentos realizados no setor. Só de 2003 a 2018 foram investidos R$ 1,6 bilhão na área.

Ao longo de suas quatro gestões, as duas últimas realizadas em conjunto com o então vice e atual governador José Eliton, Marconi promoveu desenvolvimento e avanços em todos os âmbitos da Saúde: melhoria das estruturas dos hospitais, aumento do número de hospitais, melhoria dos indicadores da Saúde, evolução quantitativa dos serviços prestados pelas unidades, valorização do servidor, gestão compartilhada com Organizações Sociais (OSs), e a inovação de programas como o Conecta SUS.

Duas das principais ações que qualificam a Saúde como o maior legado das gestões de Marconi foram o aumento significativo do valor de investimento na área e a expansão do número de hospitais. Em 2003, o governo estadual investia anualmente em Saúde R$ 39.238.521,00. Em 2018, o investimento é de R$ 271.847.062,00. Ou seja, mais de R$ 1,6 bilhão foram investidos desde 2003.

Em 1999, quando Marconi assumiu pela primeira vez o governo de Goiás, existiam sete hospitais estaduais: Hugo, HGG (que ficou fechado por oito anos), Materno Infantil, HDT, HMA, MNSL e Ernestina. Todas as unidades estavam com funcionamento precário e algumas corriam risco de serem fechadas. Ao final dos quatro mandatos de Marconi, o número de hospitais estaduais chegará a 24.

Além de ter melhorado as unidades existentes, reaberto o HGG e construído o Crer, referência nacional e internacional, Marconi também construiu uma grande rede de hospitais de urgências, composta pelo Huana, Huapa, Hutrin, Hurso, e pelo maior hospital de urgências e emergências do Centro-Norte do País, o Hugol. Construiu, ainda, o HDS e o Hospital do Servidor. O governo de Goiás também estadualizou algumas unidades, como o Hospital Regional de Jaraguá e o Hugo de Águas Lindas (já entregue a primeira etapa) e o de Santo Antônio do Descoberto, que está em obras. O Hugo de Uruaçu, por sua vez, está em fase de conclusão.

Os hospitais existentes foram se desenvolvendo ao tempo em que novas unidades foram sendo criadas. Somente em 2018 serão entregues novos 777 leitos nos hospitais estaduais, sendo 153 de UTI. A qualidade dos hospitais foi melhorada após a gestão compartilhada com OSs, implantada no terceiro governo de Marconi, e reconhecida pela população e pela Organização Nacional de Acreditação (ONA).

O índice médio de aprovação pelos goianos dos hospitais estaduais é de 90,4%, de acordo com pesquisa Serpes. Já são quatro hospitais acreditados pela ONA, dois no nível 3, o maior índice de qualificação e excelência. São eles: Crer (3), HGG (3), Hugo (1) e HDT (1). O Hutrin está em processo de receber o certificado de acreditação. Na última gestão de Marconi/José Eliton também foram entregues dois Credeqs, o de Aparecida de Goiânia e de Qurinópolis, e três estão em construção. Foram entregues três USEs, e outras três estão em construção. A Rede de Credeqs fará nove mil atendimentos, e a Rede USEs, 45 mil atendimentos por mês. 




Eliton discute ações integradas com o MP 


Em visita institucional ao Ministério Público Estadual (MPE), ontem, o governador José Eliton avaliou com o procurador-geral de Justiça, Benedito Torres, ações integradas do governo estadual com a instituição em áreas estratégicas, como a Saúde e Segurança Pública para os próximos meses.

A primeira ação deve ocorrer na área da Saúde, com a realização de cirurgias eletivas. No encontro com o governador, o procurador Benedito Torres disse que o Ministério Público se sentiu honrado com a visita e que a instituição está de “portas abertas” para parcerias institucionais com o governo estadual.

Citando o Ministério Público como a “casa da cidadania”, José Eliton assinalou que mais que uma visita institucional, trata-se de um gesto de respeito a uma instituição que, ao longo de sua história, tem, de forma “correta e zelosa”, defendido os interesses difusos e coletivos dos goianos.

De sua parte, José Eliton garantiu que vai zelar para que o governo do Estado e o Ministério Público continuem tendo uma relação “harmoniosa, uma parceria para buscar o bem comum da sociedade, o bem das pessoas”.

O governador ratificou seu apreço ao Ministério Público, afirmando que a visita teve como objetivo abraçar simbolicamente cada um de seus integrantes, instituição que no seu ponto de vista é indispensável para defesa e proteção dos direitos do cidadão e a correta aplicação do dinheiro público. Por fim, José Eliton se mostrou plenamente aberto a manter um diálogo permanente com o Ministério Público, ressaltando que espera ter poucos problemas e muitas alegrias. “Estaremos sempre de portas abertas para recebê-lo, governador”, reafirmou o procurador Benedito Torres a Eliton. 




Melhor estrutura resulta em mais atendimentos 


A ampliação do número de hospitais e melhoria da estrutura das unidades resultou em aumento do número de atendimentos, leitos e cirurgias. De 2001 para 2017, o número de atendimentos ambulatoriais cresceu 76,40%. De cirurgias, 50,92%; internações, 69,45%, e de leitos um aumento de 62,74%. Os principais indicadores de Saúde tiveram evoluções positivas. A taxa de mortalidade infantil caiu 15,96%, e o número de leitos de UTIs subiu 47,45% nas gestões de Marconi/José Eliton.

Uma das ações mais importantes na área de inovação foi a criação do Conecta SUS, que já tem servido de modelo para outros estados. São 204 indicadores de Saúde monitorados nos 246 municípios goianos. Goiás já recebeu a visita de 23 estados, quatro ministérios, cinco comitivas internacionais e 12 pesquisadores de universidades estadunidenses, cientistas franceses e portugueses para conhecer o programa.

No cenário estadual e nacional, Goiás se destacou ao fazer a força-tarefa Goiás Contra o Aedes, que realizou 72,3 milhões de visitas domiciliares entre 2012 e 2017, e resultou em 58,34% de redução dos casos de dengue. Goiás foi o único estado do País a registrar visita a 100% dos municípios.

O servidor passou a ser valorizado com plano de cargos e remuneração, e prêmio de incentivo à produtividade. Com foco na educação em Saúde, as gestões de Marconi e José Eliton proporcionaram, nos últimos oitos anos, que 6.733 profissionais fossem qualificados em educação continuada; 80% de aumento nas vagas dos programas de Residência Médica nos hospitais do Governo do Estado, e 95% de aumento nas vagas do programa de Residências Multiprofissionais nas unidades estaduais.

Do ohoje